quarta-feira, 1 de abril de 2015

Tratar abusador como doente é apenas uma estratégia do patriarcado



Resultado de imagem para pedofiliaHoje, uma postagem no Facebook me em particular me chamou atenção, era sobre pedofilia. Despertou minha atenção não pelo conteúdo do post, mas pela frequência com que ela ocorre como também pela naturalidade com os homens e a sociedade lida com os pedófilos, inclusive, culpando a criança pelo abuso. 
Essas crianças procuram proximidade com outros. E podem perder-se, fazendo com que a outra pessoa também se envolva”.
Resultado de imagem para pedofiliaEssa declaração foi dada pelo arcebispo, líder da Igreja Católica na Polônia, Jozef Michalik, ao comentar os casos de pedofilia que envolvem padres. Numa conversa com os jornalistas, o arcebispo, defendeu os padres e responsabilizou as crianças de famílias desestruturadas.
Resultado de imagem para pedofiliaOntem mesmo eu falei com duas mulheres (somente ontem, duas mulheres) que foram abusadas sexualmente durante a infância. Uma delas por um amigo da família e a outra pelo próprio pai. Essas são mulheres que tiveram as infâncias roubadas e as vidas arruinadas por pervertidos que contam com a tolerância e complacência da sociedade para permanecerem abusando porque são considerados doentes.
Tratar abusador de crianças/adolescentes como DOENTE é apenas uma ESTRATÉGIA DO PATRIARCADO, uma forma que o patriarcado arruma de fazer com que a sociedade tenha EMPATIA pelo abusador mais do que pelo abusado. Porque sentir desejo sexual por e abusar de crianças e adolescentes - em seus diversos níveis, desde a observação e erotização para a masturbação, passando pelo assédio real, até o ato sexual em si - é um comportamento CORRIQUEIRO e CONTUMAZ do homem educado pelo patriarcado. Porque numa sociedade em que a idade mínima para "consentimento sexual é de 14 anos, pedofilia não é doença e nem crime é NORMA SOCIAL". Ana Paula Martins 

Resultado de imagem para pedofilia"A pedofilia é um transtorno mental. Para serem considerados como pedófilos, os agressores devem possuir certas características, o que chamamos de critérios diagnósticos. Uma pessoa com o diagnóstico de pedofilia é aquela que ao longo de, no mínimo seis meses, teve fantasias sexuais recorrentes, impulsos sexuais ou comportamentos envolvendo atividade sexual com uma (ou mais de uma) criança com idade inferior a 13 anos. Para o diagnóstico de pedofilia, o indivíduo deve ter, no mínimo, 16 anos e ser pelo menos cinco anos mais velho do que a criança ou crianças. É importante esclarecer, então, que nem todos os agressores sexuais de crianças são pedófilos, uma vez que é preciso atender aos critérios diagnósticos do transtorno. Um pedófilo, conforme os critérios diagnósticos, pode nunca ter cometido uma violência sexual, mas possuir fantasias sexuais com crianças." Jean Von Hohendorff (UFRS) em Tribuna do Norte.
No post de Ana Paula Martins havia as imagens abaixo.
 

As imagens que ilustram esse post foram encontradas naqueles sites de vídeos pornôs bem populares. Imagens como essas podem ser encontradas muito facilmente, visto que TODOS esses sites disponibilizam uma seção chamada "teens", onde são oferecidos vídeos de mulheres jovens maiores de 18 anos [será?] que são maquiadas, penteadas e preparadas para se parecem crianças e adolescentes prontas a serem violadas por homens mais velhos, e que estão, normalmente, entre as seções mais visitadas pelos punheteiros do patriarcado.” Ana Paula Martins
Resultado de imagem para pedofilia
"Eu curso serviço social, na minha faculdade nós fizemos um debate sobre pedofilia e as sequelas causadas na formação da personalidade das nossas crianças e adolescentes. Pois bem, sobre pornografia, crianças que têm contato com pornografia acabam achando pedofilia e abuso sexual algo normal, e muitas vezes não sabem denunciar, pois não sabem que é violência. É uma realidade muito comum. Esse tipo de violência pode trazer danos psicológicos graves para às crianças ao começarem a buscar suas próprias identidades, sequelas graves como transtorno anti-social, transtorno de personalidade borderline, mitomania, até a esquizofrenia. Não permitam que crianças tenham acesso a pornografia, principalmente pornografia que retrata sexo ‘consensual’ com crianças. A pornografia cria um mundo aonde tudo é permitido, é sexista, cruel, e doentia. Pedófilos atores e pornógrafos não são criminalizados, são tratados como homens doentes, isso quando não são aplaudidos. A gente tem que mudar isso. Pedofilia não é fetiche. Homens adultos, deixem as crianças em paz. O segundo ponto vai para as mulheres adultas que buscam se assimilar as meninas, crianças, com a depilação compulsória, roupas eróticas infantis, voz de bebê, entre outros comportamentos considerados fetichistas. Esse comportamento não é fetiche é pedofilia. Precisamos falar sobre isso". Isabella.

2 comentários:

Danni Gaspar disse...

Olá Isabela gostei muito do seu texto e concordo com suas palavras, infelizmente poucas pessoas estão pensando assim hoje e colocando a pedofilia como doença, tirando o foco da vítima, colocando em risco nossas crianças, mana você tem o contato dessa Ana Paula Martins que vc se refere no texto?? eu estou a procura de pessoas que se posicionem contra essa idéia de dizer que a pedofilia é doença, queria fazer uma pesquisa e uma entrevista sobre isso, precisamos divulgar a idéia de que pedofilia não é doença, mostrar que é algo incentivado dentro da própria sociedade, se puder me dá esse help aí, agradeço <3

Ana Eufrázio disse...

Olá Danni,
Tenho o contato da Ana Paula. Manda uma mensagem pra mim que eu passo o contato. (anaeufrazio@yahoo.com.br)