quarta-feira, 14 de maio de 2014

Mulher que apanha do marido e não larga dele é porque gosta de apanhar.





Outro dia recebi um link e um convite pra intervir num debate a cerca de violência física contra mulher.  Até aí tudo bem, nada demais, afinal, discussões sobre violência contra a mulher têm ocorrido com muita frequência. Mas ao analisar todo o contexto achei tudo meio surreal. A polêmica criou-se em torno de uma postagem no Facebook, feita por uma advogada, que atua na área de direitos humanos, afirmando que “Mulher que apanha do marido e não larga dele é porque gosta de apanhar”. Completamente tosco (concorda?). Seu comentário referia-se à notícia, publicada há um mês, sobre a relação abusiva que Elba Ramalho, cantora nordestina, teria tido com o ex-namorado, o cantor Cezinha.
Elba teria sido agredida pelo companheiro diversas vezes e, segundo ela própria revelou através de um depoimento, estava tão apaixonada que não conseguia largar o parceiro.  O depoimento que suscitou o debate ocorreu em 2012, ocasião em que revelou já está separada do agressor. A revelação de Elba, bem como a nota divulgada na imprensa em resposta a repercussão do assunto na mídia no mês passado, foi que precipitou a revolta da advogada e o comentário na rede social.
COMUNICADO
A Assessoria de Imprensa de Elba Ramalho informa que em relação a matéria publicada na edição de hoje 12 de março de 2014, tanto no online quanto em jornal impresso esclarece que a cantora se restringe a dizer as seguintes palavras:
“O testemunho de vida dado por mim à uma comunidade religiosa, e divulgado na internet, merece respeito. E não pode ser utilizado com qualquer propósito que não seja o bem. Muito menos, como uma arma contra qualquer pessoa ou situação. Ao contrário, é um testemunho professado pela fé, que busca a redenção e a reconciliação com Deus.
Deve servir para converter e motivar as pessoas a uma busca de autoconhecimento, da saúde espiritual e da paz interior.
Não tenho nada contra Cezzinha, uma história de amor no passado e, hoje, um amigo querido. Um músico admirável. Peço mais amor, mais compaixão e mais compreensão.
Paz e bem!” Uol 
 
Resolvi resgatar o assunto porque tenho uma palestra para ministrar na próxima sexta-feira e escolhi essa frase para introdução dos trabalhos.  Como vou falar para profissionais da saúde, sobre violência contra a mulher e sobre a LEI No 10.778, que estabelece a notificação compulsória dos casos de violência contra a mulher que forem atendidas em serviços de saúde, precisava de uma estratégia de impacto pra chamar a atenção dos profissionais e sensibilizá-los da importância da notificação. Mas antes de optar por esse viés fiz um teste no Face para verificar de que forma as pessoas reagiriam a essa premissa. Até mesmo porque ela pareceu bastante legítima para parte significativa das pessoas que comentaram o post da advogada. Não printei os comentários porque na ocasião não levei em consideração que poderia servir como um registro do pensamento mediano de muita gente. Mas posso afirmar categoricamente que foi bem estressante para mim e outras feministas vermos os comentários afirmando que dentro do ambiente das delegacias, fóruns e outros era possível confirmar que “mulher de bandido gosta de apanhar”, como também outras pérolas soltadas pelo pessoal que trabalha na área. 
Senti uma revolta quase incontrolável ao ler todos aqueles comentários recheados de preconceitos, arrogância e uma boa pitada de hipocrisia. Na verdade, muita hipocrisia sim, porque algumas daquelas pessoas podem não apanhar, más quase todas, senão todas, sofrem algum tipo de violência do cônjuge. Eu que já venho acompanhando há algum tempo histórias de violência sei bem que da porta da casa pra fora muita gente tem um discurso, de fora pra dentro a história muda de figura. Naturalmente, meu desejo seria que as mulheres pudessem sentir-se seguras em todos os ambientes e não sofrerem nenhum tipo de opressão ou violência. No entanto, o que me deixa indignada é o fato de que dentre as próprias mulheres, principalmente, as profissionais da área, ainda haja quem não leve em consideração os aspectos objetivos e subjetivos que envolvem a questão e culpem a vítima pela violência que sofreu. Que os homens repitam esses jargões eu até compreendo, afinal eles são os opressores e culpando a vítima se desresponsabilizam das agressões que cometeram. Como dizia, há muitos anos, um vizinho para sua esposa durante as agressões “Não estou batendo em você, mas no seu atrevimento”. Ou como bem lembrou Ariel "toda mulher gosta de apanhar, apenas as neuróticas reagem", célebre frase de Nelson Rodrigues.
Apesar do patriarcado, do machismo e da impunidade não nos conformamos com a premissa de que tem mulher que gosta de apanhar e são muitas pessoas que não concordam com esses jargões machistas. Entendemos bem que essas posições são usadas como mecanismo de controle da mulher para perpetuar o silêncio e a inércia, bem como manter o ciclo de violência e a impunidade.
Junto ao pessoal de um grupo de tendência feminista pude coletar alguns depoimentos comoventes de como a permanência numa relação abusiva pode ocorrer por “N” fatores e nenhum deles faz alusão ao gosto mórbido pela agressão ou qualquer forma de violência. Entretanto foi consenso que essa culpabilização da vítima era uma realidade, até mesmo em ambientes impensáveis, como no caso relatado abaixo.
“Mas, isso de que a pessoa gosta de apanhar escutei de uma funcionária da Delegacia de Mulheres, quando fui acompanhar uma amiga. Ela apareceu toda roxa, cheia de hematomas (tinha aparecido lá em casa aos prantos). Fomos à delegacia e atendidas com as seguintes afirmações: ah, mas você tem mestrado, é uma moça esclarecida. Se está apanhando, é porque gosta. Não larga o namorado porque não quer... Ela saiu correndo, não fez a denúncia. Meses depois voltou com o namorado (que já queria me matar também - "a sapatão que está levando minha mulher para me foder"). Cláudia Macedo.
 “Pelo que estudo e percebo, realmente, ninguém gosta de ser agredida. O que geralmente acontece é que a mulher, por questões dela, acredita que o bater é a "forma" de amar do parceiro. Ela muitas vezes acha que o cara vai mudar algum dia e que ela merece ser agredida porque ela acredita ter feito algo de errado. É uma combinação de baixa autoestima, machismo, isolamento e etc. E infelizmente a violência doméstica (de marido/parceiro contra mulher, pais com filhos) é muito comum, em todas as classes sociais e em muitas culturas. É muito complicado, tem muitas coisas envolvidas, às vezes a mulher não tem outra opção além de permanecer numa relação abusiva em nome dos filhos. Gostaria também de reforçar isso de que não tem a ver com classe social. Existe um estereótipo de que mulheres que apanham do parceiro são pessoas sem estudo e de classe baixa e isso não mostra a dimensão do problema. Isso acontece com mulheres de classe alta também, que trabalham, estudam.... Eu vi um depoimento de uma americana, formada em Harvard, impressionante! Porque não é algo que acontece do nada. O cara no inicio parece ser uma pessoa super fofa, mas vai aos poucos se mostrando controlador, machista, violento.... E a pessoa, justamente por ter experiências boas com a pessoa acha que a agressão é apenas uma fase e que depois vai melhorar e etc. Lamentavelmente não vai, é muito raro um agressor deixar de ser violento do nada, a não ser que ele busque ajuda.” Luiza Chagas Pinaud autora do blog Mente consciente.

“Mulheres não gostam de apanhar, mulheres às vezes tem dependência emocional, financeira e psicológica com seus parceiros ou tem medo de denunciar e acontecer algo pior”. Isabella Haru
“A mulher tem medo de denunciar e receber ainda mais represálias. Chove casos de mulheres que denunciam e que depois retiram a queixa por causa de alguma ameaça. E como a justiça não funciona a mulher que ‘ousa’ manter a denúncia acaba morta ou ‘sumida’ por aí. A Elisa Samúdio mesmo denunciou abusos à polícia, mas nunca receber nenhuma medida protetiva, e acabou no que vocês viram. Beatriz Ramos Rodrigues
“Eu veria esse tipo de situação como uma naturalização da opressão do patriarcado. O que significa que muitas mulheres acreditem que é normal homem trair, ser machão, violento, etc. Além disso, quais modelos de masculino lhe são familiares? A possibilidade dela achar normal apanhar é muito maior se ela construiu pra si um modelo de homem baseado em homens opressores, violentos, etc. Alessandro Ezabella, psicólogo.
“Há diversas mulheres em relações abusivas, motivadas por razões diversas, dentre elas – acredito que as mais comuns - 1 financeiras (a exemplo, a falta de qualificação, não conseguem trabalhos dignos que lhe sustentem, conforme exigências do/para mercado de trabalho);2 por dependência psicológica (baixo autoestima, a exemplo); 3 por conta de regras religiosas (outro exemplo, conheço bem de perto algumas que esperam o marido ‘se libertar do alcoolismo’ a 30 anos, enquanto isso, oram por essa ‘cura’ e ‘aturam’ a violência)...Penso que, enquanto mulher em sã consciência, não é normal viver sofrendo e que ninguém quer viver dentro de um relacionamento sendo agredida física, verbal, moralmente...Ninguém quer ter sua alma violada. Só para embasar, fiz um breve estágio na DEAM (Delegacia da Mulher) e todos os dias atendia mulheres dentro do perfil 1 e 2. Sem querer delongar-me, tenho amigas, que com o apoio/encorajamento diário, estão conseguindo se libertar das amarras de relações doentias, onde o cara 'belisca' só de imaginar que ela olhou p alguém do lado...enfim....Louco, mas acontece, doí sim, machuca e, pior, destrói a mulher em vida. Por isso, é tão importante campanhas de conscientização, a promoção de qualificação da mão de obra feminina, e o fortalecimento da autoestima das mulheres”. Mariana Bernardo.
Apesar de parecer desnecessário acho que é muito, muito, muito importante reforçar que o argumento de que “tem mulher que gosta de apanhar” é usado como uma forma de manter as relações de opressão e de dominação, não discutir o assunto, bem como manter a mulher como responsável pelo abuso (culpabilização da vítima) e eximir de auxilia-la.

59 comentários:

Luiza Pinaud disse...

Ótimo o texto, Ana!
Gostei dessa parte que resume bem:
"Apesar do patriarcado, do machismo e da impunidade não nos conformamos com a premissa de que tem mulher que gosta de apanhar e são muitas pessoas que não concordam com esses jargões machistas. Entendemos bem que essas posições são usadas como mecanismo de controle da mulher para perpetuar o silêncio e a inércia, bem como manter o ciclo de violência e a impunidade."

Anónimo disse...

Estou passando pelo mesmo caso...

Anónimo disse...

Gente escrevi um textao e apaguei sem querer ...mais queria muito desabafar com vcs

Ana Eufrázio disse...

Olha,
Que pena que tenha apagado seu texto. Seria bem importante pra gente receber seu depoimento. Espero que volte e deixe relato. Caso precise de ajuda pode me enviar um e-mail em particular. Caso precise só desabafar também se sinta a vontade pra nos contatar. Quero que saiba que não está sozinha e que dá pra romper com o círculo de violência.
Um grande abraço e aguardo seu contato.

Anónimo disse...

oi , achei essa pag pq ja nao aguento mais sofrer sozinha.Tenho 24 anos, estou casada a 6 com um homem de 42 e não me lembro se quer um dia em q fui feliz ao lado dele, na vdd sempre fui destratada pela minha mae, assim q arrumei meu primeiro trabalho conheci ele, e ele sabendo da minha vida disse que queria casar cmg e cuidar de mim,eu acreditei, achei q enfim seria feliz ,mas adivinhem ,,,depois de pouco tempo ele se mostrou agressivo, alcaoolatra e covarde , ele bebe me bate e me humilha pq diz que tenho aguentar pq ninguem gosta de mim, nem minha mae.Nao sei o que fazer ,ele acabou de me bater me deu um soco no lado esquerdo do peito q fiquei ate com medo de morrer,nao sei se alguem nesse mundo e mais infeliz que eu.

Ana Eufrázio disse...

Olá,
Querida, imagino o quão difícil esteja sendo a sua vida. Também imagino o quão difícil deve ser pra você pensar numa forma de se livrar do sofrimento que está te atingindo. Bem, o que eu posso te dizer é que com certeza existem outras formas de se relacionar e de viver. É possível recuperar a alegria de viver e encontrar alguém que te faça muito feliz. Agora, perdoe-me a invasão, o o mais urgente é que você ligue para o 180 e conte a sua história para a atendente. Ela irá lhe orientar sobre onde e como buscar ajuda. Você precisa de ajuda para romper com as agressões e começar uma vida nova, seja longe do seu marido ou com ele, mas com as devidas proteções para que ele não volte a te agredir. É bastante importante que procure ajuda.
Não tenha dúvidas de que você pode e merece viver sem violência. Também não tenha dúvida de que tem sim muita gente que gosta de você, inclusive sua mãe. Talvez ela não saiba como expressar o gostar, ou ela talvez tenha tido uma educação ou vida tão difícil que não sabe como lidar com você. Caso queira conversar mais um pouco me envia um e-mail que a gente vai conversando.
Um grande abraço.
Não esquece, eu me importo muito com cada mulher que sofre qualquer tipo de violência.

Anónimo disse...

Ola. Sou casada a 12anos .e nesse tempo já apanhei algumas vezes. Ele é um marido carinhoso. Não me deixa faltar nada. É possessivo. Td tem que ser do jeito dele. Se eu falar algo que o irrite. E se eu nervosa encostar nele. Ele me agride sem dó nenhuma. Me dê sua opinião. Ele sempre faz eu achar q eu sou culpada pelas atitudes dele. Que eu o motivo a agir assim. Que ele n tem culpa de nada.

Ana Eufrázio disse...

Olha querida. Um companheiro ou companheira carinhosa/o não agride nem verbalmente a companheira ou o companheiro. "Não deixar faltar nada" não é nenhum favor que ele faz a família, é uma obrigação de qualquer pessoa numa relação familiar, seja o homem ou a mulher. Ambos tem a obrigação moral de zelar pelo bem estar da família.E isso inclui o suprimento das necessidades alimentares e outras.
Infelizmente, o seu companheiro está longe de ser um bom marido. Ele impõe a você uma série de violências, desde a psicológica, quando a faz se sentir culpada pela agressividade dele,à violência física, quando ele te espanca.
O processo que utiliza com você, para fazê-la se sentir culpada, é o mesmo usado por todos os homens que são violentos com a companheira. Essa é uma tática usada para impedir que você se revolte com a atitude dele e que rompa com o processo de violência e assim mantê-la sob o controle dele.
Ele te agride, te manipula e é violento porque é da natureza dele ser assim. Não é porque você provoca. Mesmo quando um está errado(você por exemplo) a saída correta é o diálogo (sem gritos, sem ameaças, chantagens ou coação). A saída para resolver os conflitos é sempre a conversa, a busca pela expressão dos sentimentos e a compreensão das razões da/o outra/a, sempre com respeito e moderação.
Estabelecer esse tipo de prática é difícil e dá trabalho no começo, mas depois que vira habito é possível verificar a diferença na qualidade de vida.
Mas, fica um alerta pra você, acho muito pouco provável que se seu companheiro consiga estabelecer uma relação dialógica com você, já que, pelo que você colocou ele é bastante agressivo.
No entanto, acho que você pode procurar ajuda. Pode ser de psicólogo para fazer uma terapia de casal.
Entretanto, caso ele volte a te agredir é necessário que procure a polícia. É imprescindível que você tome essas medidas para que possa preservar sua integridade física e psicológica e quem sabe a própria vida.
Além disso, posso dizer pra você que existem outras de viver, sem se sentir com medo de ser agredida, angustiada por achar que pode está provocando alguma atitude violenta.
Pense em você, no que pode ganhar numa relação sem violência.
Pois ninguém pode ser feliz quando vive com medo e sofrendo violência.
Também não esqueça que ninguém é insubstituível, que existem outras pessoas com as quais você pode reconstruir uma família, que você merece ser feliz e que ninguém vai lutar pela sua felicidade.
Um abraço e tente lutar pela sua felicidade.

Anónimo disse...

Eu passo por isso a22 anos ele e cruel eu não apanho de mao mas de boca estas suras não marca o corpo mas destrói a alma eu digo que no dia do meu casamento eu fui julgada e condenada sem saber me casais em minas minha terra natal onde vive toda minha familia me casei cheia de sonhos de sair da roça vir pra cidade grande estudar trabalhar mas triste ilusão quando cheguei aqui fui colocada como empregada da mae dele onde todos me humilhava ele veio me falar em auto e bom tom mulher minha não estuda e não trabalha foi um choque eu não sabia o que fazer pois não podia voltar depois me vi gravida minha filha nasceu bem pequena mas graças a deus hoje esta casada passei fome pra ela poder comer ele depois que vim pra CA tudo se acabou da porta pra fora ele e outra pessoa me trata bem ainda mais quando vou ver meus parentes no resto só eu e deus sabe o que passo e tem mais ele me ameaça o tempo todo se eu contar pra minha familia ele mata todos e minhas filhas ele disse o que acontecer com elas a culpa sera minha pois eu que levei ele a fazer isso eu tenho medo de denunciar pois minha cunhada denunciou e na delegacia todos ficaram rindo dela ela demorou muito pra conseguir entrar com ação contra ele ela teve de fugir ir pra outro estado mas eu não tenho como pois ele mesmo fala que se eu sair de casa no outro dia minha mae estará morta eu só estou resgatando obrigada

Ana Eufrázio disse...

Gostaria muito e ajudá-la. Mas, para isso, seria necessário que você me procurasse. Envie um e-mail para mim,anazeufrazzio@gmail.com, me diga de que forma posso ajudar. Um abraço e aguardo contao

Carolina disse...

Olá ANA, em uma conversa com minha diarista, soube de uma pessoa que apanha do marido quase que diariamente e não tem coragem de denunciá-lo. Gostaria de ajudar. Denúncia anônima seria o melhor a se fazer?
O que me assustou nos comentários deixados no seu post e mesmo no seu artigo é a falta de compaixão dos profissionais da delegacia. Existe ongs que acolham essas mulheres quando elas não denunciam pois não tem pra onde ir? Há uma filha de 1 ano envolvida nessa história trágica.
Como posso ajudar?

Ana Eufrázio disse...

Oi Carolina.
Primeiramente, obrigada pela confiança.
Então, qualquer pessoa pode sim, denunciar anonimamente casos de violência, principalmente contra a mulher. Você pode ligar para o 180 e fazer a denúncia ou 190. No entanto,se você tem acesso à vítima, eu recomendo uma abordagem mais sutil. Primeiro veja qual a rede de apoio que há na sua cidade, CREAS, Casa da mulher e ONG's que acolhem vítimas de violência doméstica... Essas informações você pode obter ligando para o 180. Depois converse com a vítima, fale para ela sobre os riscos que corre continuando numa relação violenta, inclusive para a criança. Certifique-se de que ela terá como buscar os apoios necessários tanto para encontrar abrigo ou para impedir que o agressor volte a conviver com ela, muitas vezes, quando não há acompanhamento, inclusive da justiça, as agressões pode se tornar mais severas.
Enfim, caso queira me enviar um e-mail informando melhor sobre o caso eu posso te passar orientação mais específicas.
De qualquer forma você pode ligar no número que te passei e relatar o caso, ele te orientarão.
Um abraço.

Anónimo disse...

muitas mulheres deveriam dar queixa mais tem medo pois a delegacia da mulher não da certa sssistencia a mulher....

Anónimo disse...

Oi, não sei o que fazer tenho apanhado do meu marido toda semana, ele me traiu e colocou a culpa em mim e quando toca no assunto ele me bate, se eu desconfio dele ele me bate, ha dois dias ele me bateu me levantou pelos cabelos me jogou no chão e começou a me chutar, depois ainda me ameaçou se eu for embora ele vai atras e ainda machuca toda minha família, sei que ele tem coragem, quase quebrou meu braço torcendo para trás estou com muitas dores não consigo nem sentar, minha boca ainda dói de uma das vezes que ele me bateu, ainda tenho marcas roxas dos socos da semana passada, agora estou com novos roxos, estou trancada em casa sem chave para sair, se eu chamar um vizinho ou a policia sei que ele vai me matar, ele ameça me aleijar ao invés de matar, não sei o que fazer nem como agir, estou com medo, mesmo ele pedindo milhões de desculpas e jurando que não vai fazer mais, não acredito, gosto dele, mais não quero mais essa vida e não tem como fugir tenho medo que ele me machuque mais, como devo agir? Fingir que ta tudo bem e quando tiver a oportunidade fugir? Não sei o que pensar, sempre sonhei em casar e ser feliz, as vezes parece que ele vai mudar mais agora acho que isso nunca vai acontecer,

Ana Eufrázio disse...

Olá moça.
Olha, se você puder me enviar um e-mail eu vejo o que posso fazer para tentar ajuda-la ou ver como te orientar em busca de ajuda.
Gostaria muito que me contatasse.
Um grande abraço!

Anónimo disse...

eu preciso de ajuda

Ana Eufrázio disse...

Envie um e-mail para mim anazeufrazzio@gmail.com que eu vejo como posso te ajudar. Não deixe de entrar em contato por favor.

linda disse...

Meu nome é neil.I gostam de compartilhar meu testemunho a todas as pessoas no fórum porque eu nunca pensei que eu vou ter o meu namorado de volta e ele significa muito para mim, o garoto que eu quero me casar me deixou dois meses a nosso casamento para outra senhora, quando liguei para ele que ele nunca pegou minhas chamadas, ele me excluído em seu facebook e ele mudou seu status no Facebook de casada com Único, quando eu fui para o seu lugar de trabalho que ele disse a seu chefe que ele nunca mais quero ver me.I perdi meu emprego, como resultado de isso, porque eu não consigo me mais, minha vida estava de cabeça para baixo e tudo não passou suavizar com a minha vida, eu tentei tudo que eu poderia fazer para tê-lo de volta para mebut falhar para fora, até que Eu conheci um homem Quando eu viajo para a África para executar alguns negócios têm vindo a desenvolver alguns anos back.I disse-lhe o meu problema e tudo o que passaram por em tê-lo de volta e como eu perdi meu emprego, ele me disse que vai me ajudar , eu não acredito que, no primeiro place.but ele sweare ele vai me ajudar e ele me disse que a razão pela qual meu namorado me deixou e disse-me também alguns secrets.i escondida ficou espantado quando ouvi isso dele, ele disse que vai lançar um feitiço para mim e eu vou ver os resultados no próximo par de days.then eu viajar de volta para US o dia seguinte e eu liguei para ele quando eu cheguei em casa e disse que ele está ocupado lançando esses feitiços e ele comprou todos os materiais necessários para as magias, disse ele vou ver resultados positivos nos próximos 2 dias que é quinta-feira, Meu namorado me chamado exatamente 12:35 no sábado e desculpas por tudo o que ele tinha feito, ele disse que nunca soube o que ele está fazendo e seu comportamento súbita não foi intencional e prometeu não fazer isso again.it era como estou sonhando quando eu ouvi isso dele e quando terminou a chamada, eu liguei para o homem e disse-lhe o meu namorado ligou e disse Dr Egbo eu não vi nada ainda, ele disse que eu também vou buscar o meu emprego de volta em três dias o tempo, e quando era segunda-feira, eles me chamaram no meu local de trabalho para retomar escritório no dia seguinte, e obter mais promoção do meu escritório. agora eu dou graças a todos os pai na África dady muito obrigado por favor, se alguém precisar de tal ajuda deverá contactar urgentemente este homem, porque esta é a única maneira que eu posso pagar-lhe e ajudar o meu companheiro fórum também. este é o e-mail, dregbosolutioncenter@gmail.com,

Mari disse...

Olá.

Estou há seis anos em um relacionamento com um homem alcoólatra. Não é fácil conviver com alguém assim. É praticamente de domingo a domingo. Alguns meses depois do início do relacionamento ele mostrou como era, me agrediu e quase me matou. Depois vieram os pedidos de desculpas e eu, trouxa, aceitei. E, depois dessa vez, outras vezes aconteceram e, como sempre, os pedidos de desculpas e eu sempre achando que ele vai mudar. Os pais dele mandando ter fé e paciência que um dia ele muda, mas quando, meu Deus? Sofro agressões físicas e verbais. Já levei tudo o tipo de nome que se possa imaginar. Ontem ele me agrediu, mais uma vez. Me deu duas chineladas e eu, revoltava, disse que dessa vez iria ligar para a polícia (nunca ligo com pena dos pais dele, pois já passaram isso com um filho, já falecido, e me contam o quanto sofreram, então evito que eles passem por isso de novo). Meu companheiro disse que, já que eu ia iria chamar a polícia e ele seria preso, ele seria, então, por me matar. Ele veio para cima de mim me dando uma chave de cano no pescoço e me suspendendo (em meu braço estava nosso filho de quase três anos), achei que iria morrer, gritei por socorro - foi quando a vizinha escutou e gritou meu nome - então ele me soltou. Eu saí correndo e fui para a casa da vizinha, cinco minutos depois ele saiu com o carro - creio que com medo da polícia. Eu não sei mais o que fazer - ou até sei - mas falta-me -, o porquê eu não sei, coragem. Não sou feliz nesse relacionamento, muito pelo contrário, as vezes fico tentando lembrar dos dias de felicidade ao lado dele e não consigo. A única coisa boa deste relacionamento foi o meu filho - a única. Quase não saímos em família e, quando saímos, é somente para locais onde há bebida alcoólica - principalmente em churrascos na casa de amigos. E, em todo canto que vamos, passo vergonha com ele. Ele sempre me ofende. Até eu calada, ele me ofende. Estou me sentindo perdida. As vezes fico me questionando como posso gostar de alguém assim - ou já nem sei se gosto ou se estou dependente de toda essa situação. Meu Deus, já pensei até em tirar a minha vida - pois só assim esse sofrimento acabaria - mas penso no meu filho que precisa de mim e não faço isso.

Ana Eufrázio disse...

Olá Mari,
Querida, me envie um e-mail para que a gente possa entrar em contato. Quem sabe a gente pode conversar e, de repente, ver o que você pode fazer. Um grande abraço. Não deixe de entrar em contato porque juntas somos mais fortes!

Tiely De Sousa Freitas Pedro Pereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tiely De Sousa Freitas Pedro Pereira disse...

Ola eu tbm passo por tudo isso sofro muito qual quer motivo e para me bate já não sei o que fazer so quero que Deus veja tudo que. Eu passo e me ajude

Ana Eufrázio disse...

Oi Tiely, envia um e-mail para mim para que a gente possa conversar, anazeufrazzio@gmail.com.
Um abraço querida!

faby disse...

Preciso de ajuda. Socorro... :(

faby disse...

Preciso de ajuda. Socorro... :(

Anónimo disse...

Muitas mulheres sofrem calada por medo ou por não ter pra onde ir. Uma amiga escreveu um romance maravilhoso baseado numa história real que chama "Recomeçar" e é possível ler no link
https://www.wattpad.com/story/44044728-recome%C3%A7ar
Vale a pena ler!

Anónimo disse...

Muitas mulheres sofrem calada por medo ou por não ter pra onde ir. Uma amiga escreveu um romance maravilhoso baseado numa história real que chama "Recomeçar" e é possível ler no link
https://www.wattpad.com/story/44044728-recome%C3%A7ar
Vale a pena ler!

Anónimo disse...

olá não sei o que mais fazer meu pai quando beber ou ficar muito nervoso ficar muito violento e vem querer bater na minha mãe em mim e na minha irma tem vez que ele chegar a quebrar as coisa em casa. depois da brigar e ele querer bater e tudo ele vai dormir e no outro dia acordar como ser nada tivesse acontecido e minha mãe nunca denuncia e ficar calada mais quando falou que vou fazer algo ela não deixar . ela que sair de casa mais ela ficar com medo de sair de casa e não ter para onde ir é levar as filhas delas . mais o que eu posso fazer para mudar esta situação ? A lei maria da penha só vale para a mulher ou para as filhas também ?
o que posso fazer nesta situação ?
ele que manter minha mae e as filhas em poder dele e casse de privado ?

Ana Eufrázio disse...

Olha, a lei Maria da Penha fala de violência doméstica. Então, qualquer tipo de agressão que ocorre no âmbito familiar, envolvendo parentes (inclusive de irmão contra irmã, filho contra mãe, pai contra filha dentre, namorado contra namorada, outros) está enquadrada na Lei Maria da Penha. Ligue para o 180 e se informe de um endereço onde procurar ajuda. Qualquer dúvida pode ser esclarecida nesse número.

Se precisa de um apoio para procurar ajuda me envia um e-mail anaeufrazio@yahoo.com.br
Um abraço e boa sorte!

Anónimo disse...

Eu apanho do meu marido eu tenho dois filhos não tenho mae nem pai para pedir ajuda não tenho trabalho Moro de aluguel k ele paga sou dependente dele e apanho e nem sei porque as vezes meus filhos vêem e sinto vergonha ele me humilha sempre me trata mal mas na frente das pessoas se mostra dedicado e atencioso mas dentro de casa hoje msm estou muito machucada e nem sei o k houve já tentei sair de casa uma vez mas ele foi atrás de mim me achou e as coisas ficarão pior agora mal posso sair de casa me sinto feia uma inútil e incapaz de mudar minha história....

Anónimo disse...

Eu apanho do meu marido eu tenho dois filhos não tenho mae nem pai para pedir ajuda não tenho trabalho Moro de aluguel k ele paga sou dependente dele e apanho e nem sei porque as vezes meus filhos vêem e sinto vergonha ele me humilha sempre me trata mal mas na frente das pessoas se mostra dedicado e atencioso mas dentro de casa hoje msm estou muito machucada e nem sei o k houve já tentei sair de casa uma vez mas ele foi atrás de mim me achou e as coisas ficarão pior agora mal posso sair de casa me sinto feia uma inútil e incapaz de mudar minha história....

Anónimo disse...

Eu já falei essa frase "mulher que apanha e não larga, gosta de apanhar" e depois de virar mais uma nas estáticas de mulheres que sofreram/sofrem violência doméstica percebi o quão errada e distorcida é essa visão. Meu ex era muito ciumento e em uma ocasião dps de tomar meu celular me agrediu com um saco tão forte abaixo do olho que cai no chão e ao chegar ao hospital o médico me disse que meu osso estava fraturado. Tempo Deus pelo mesmo motivo ele me deu um chute forte na "canela" que ficou roxo. Mais tarde puxões de cabelo e por fim mais um soco no olho e outro na bochecha. Não pude comemorar a virada do ano 2015 pra 2016 pq meu rosto ficou deformado e estraguei a virada de ano da minha família que ficou horrorizada com a situação. Durante o relacionamento sofri várias ameaças de morte em uma deles ele apertou forte meu pescoço. Hoje eu estou grávida dele. Menos de um mês da nossa separação. Bom, eu não sei o que vou fazer da minha vida, meu psicológico ficou totalmente abalado e confuso. Só sei que meu futuro filho não tem uma de nada e não descontar eu nele o meu sofrimento, quero que ele seja feliz e saudável. Coloquei Deus na minha frente e vou fazer de tudo para o meu filho ser feliz

B disse...

Faby sou vítima também se eu puder ajudar em qualquer coisa me avise!

Anónimo disse...

Oi. Aqui quem fala é uma vítima de agressões. Sou casada há 2 anos. Sou evangélica, meu esposo também. E nós começamos de ums tempos pra cá a discutir muito. E por qualquer briga besta eu levo uma porrada. Hoje mesmo meu café da manhã foi algums socos na cabeça. Algums tapas na cara. Algums chutes. E algumas marcas pelo corpo e rosto. E uma enorme ferida na alma. Já tive objetos de casa quebrados varias vezes. Já tive meu celular quebrado. Estou como um animal acuado quando esta se sentindo ameaçado. Tenho medo de denunciar. Sempre que falo que vou denunciar ou falar para o meu pastor, eu sou ameaçada. Eu já perdi a minha paciência, a minha fé. Me sinto feia, magra, desprezível. A mulher pode ser o que for. Mas não se compara a força física de homem com a de uma mulher. Minha mãe também apanhou de meu pai. E sempre dizia que quando eu me casasse eu ia sofrer e apanhar. A vontade que eu tenho é de sumir. Tenho vergonha de mim. Do meu corpo. Já fui aliciada durante vários anos por um homem que minha minha vive com ele até hoje e ela sabe que ele me aliciou. Só queria ser feliz. Esse é o desabafo de mais uma vítima de um covarde.

Ana Eufrázio disse...

Olá, moça evangélica.
Boa noite!
Querida, é muito importante denuncia-lo.
Mas, é tão importante quanto isso você se curar, cuidar de você.
Ele não pode tirar de você a sua alegria de viver.
Não se permita continuar nessa agonia. Busque ajuda, você merece.Se precisar procure informações ligando o número 180.
Denuncie na delegacia da mulher, algumas delas têm programas de reabilitação para o acusado, o que ajuda para que não haja reincidência.
Se quiser conversar entra em contato por e-mail (anaeufrazio@yahoo.co,br).
Um grande abraço.

Anónimo disse...

Acabou de acontecer comigo,tive uma discussão com meu marido e ele me bateu, a primeira vez! Não sei o que fazer ele estava alcoolizado, e disse que a culpa foi minha pq bati nele tbm...ele é um marido bom, mas depois disso estou com medo de acontecer de novo,não tenho para quem contar isso, por isso resolvi desabafar aqui

Anónimo disse...

Boa tarde, meu nome e Cíntia,

Ontem ás 19:30 meu ex marido me agrediu mais uma vez, ex porque decidi sair daquela vida de humilhações de ameaças, mesmo com um denuncia que já fiz a ele me enforcou quase tirando a minha vida, não fosse a minha sogra intervir por mim esta hora já não estaria aqui,na ocasião estava na casa seus pais e alguns familiares incluindo nosso filho de 2 anos de idade todos presenciaram a covardia da forma com quem me atacou, posso dizer precisamente que foi a quarta vez que me agride, de todas as outras a culpada segundo ele foi eu, desculpas flores faziam parte após estas agressões, hoje me sinto culpada mais pelo fato de ter sido tão inocente ao fato de acreditar que realmente seria a ultima vez que eu conseguiria ser a sabedoria do lar por tantas pessoas me dizerem que a mulher sabia edifica o lar, as pessoas realmente culpam as mulheres pelo fato de um covarde sem coração agredir, hoje no século XXI, eu trabalho sempre trabalhei alias, fui vitima não apenas carnal mais também por muitas vezes verbal em 4 anos de casamento, eu era a retardada a burra a desgraça a puta, acreditem se quiser ele me chamava de puta mesmo eu trabalhando e por muitas vezes sustentando a casa sozinha, se você me pergunta o porque aguentei 4 anos para somente hoje 02/06/2016 conseguir me separar ter a atitude de me libertar não sei se saberia te responder ao certo, eu idealizava minha família meu filho junto aos pais este era o sonho que virou pesadelo, não ele não foi sempre assim ou era e após o casamento se transformou, hoje não consigo comer nem tomar agua pois a enforcada que me deu ontem deu sequelas bastante para tal desconforto, sabe a todas vocês que se deixam agredir de qualquer forma que seja tenham coragem minhas amigas por vocês pelos vossos filhos , chutem o balde procurem ajuda, não sintam medo de ficarem sozinhas, agarre sem a fé, ou então a sua própria vida eu ontem senti o ódio em seu olhar enquanto me enforcava a sua vontade de me matar, meu filho precisa de mim quero ver todas as suas fases quero que ele tenha um futuro lindo que não seja como o pai, hoje deixo aqui minha vontade que todas vocês se libertem que sejam felizes de coração, só a gente mesmo pode tomar esta atitude, quem quiser me add no whats para trocarmos experiências estou a disposição.64-9272-8165 bjus de luz ...

Anónimo disse...

Boa noite,sou casada a 14 anos,temos dois filhos,sempre tivemos muitas discussões mais com o passar dos anos isso foi se agravando de uma tal forma,vários insultos na frente dos nossos filhos,até chegar nas agressões, e o pior que eu me sentia mal,e ficava me questionando até tomar a culpa pra mim,ficava falando coisas do tipo,se eu não tivesse feito isso não teria acontecido a agressão, sempre ficava na esperança dele mudar e escondia isso da minha familia por medo de me julgarem,depois da nossa ultima briga com agressão vim embora pra minha cidade natal,e ele ficou em outra cidade,mais ainda não estamos divorciados, acabei conhecendo outra pessoa e aconteceu a traição e agora fico me culpando,porque ocorreu algo que fugiu dos meus princípios e agora parece que tudo que ele me fez foi pequeno diante dessa traição, estou à dias criando coragem pra dá entrada no divorcio mais não consigo,tenho dias que choro,não tenho ânimo.

Ana Eufrázio disse...

Infelizmente, nós mulheres somos educadas para nos sentirmos culpada por tudo que nos acontece e responsáveis por fazer as relações darem certo.Por isso, ficamos sempre buscando encontrar onde erramos. Agressores agridem porque eles se sentem confortáveis para agredirem e porque a sociedade sempre procura uma forma de responsabilizar pelas agressões e até pelas traições.
Quanto, a traição, eu entendo que nesse momento esteja doendo mais que a dor física que sentiu. Mas, olhe, essa dor vai passar. Veja qual a melhor forma pra você lidar com a sua dor e essa traição. Se o melhor for continuar na relação, tente não transformar essa traição o centro dela. Caso opte por separar, o ideal é que faça isso logo, para evitar que o sofrimento se prolongue mais que o necessário.
Bem, espero que dê tudo certo pra você!
Um abraço!

Unknown disse...

Olá Ana preciso de suas palavras pois não sei mais aonde procurar conforto, pois já faço tratamento com psiquiatra com psicólogo já fui evangélica já falei com bispos pensei em procurar a umbanda enfim estou perdida! Estou casada há 5 anos tenho um filho de 3 anos e 11 meses larguei meu emprego para cuidar do meu filho quando coloquei meu filho na escola voltei a trabalhar mas fiquei uma semana sai de lá aos tapas! Meu marido é muito possessivo usuário de cocaína e álcool! Mas as agressões só acontecem quando ele bebe quando ele se droga ele vira uma mosca morta! As brigas começaram de leve uns tapas no braços socos na coxa aí eu comecei a revidar não admitia apanhar! Aí q o bicho ficava bravo e conforme eu ia pra cima dele eu fazia vário hematomas arranhões enfim só que agora ele está muito agressivo é a terceira vez que fico com olho roxo! É desse vez saiu sangue do meu nariz e pegou metade do meu rosto inteiro! Ou seja eu não tenho um centavo dependo financeiramente dele não tenho pai falecido não me dou com minha mãe que está desempregada e defende ele! Estou dependente de um cara que não me larga pq já fui embora já Fi Bo contra ele! Mas ele tem dinheiro me dá conforto e quando eu falei q ia chamar a polícia meu filho pediu por favor mamãe não prende meu pai! Já procurei advogada já procurei casa mas não consigo sair dessa vida! E pra ajudar estou de mudança estou saindo de um apto e indo pra outro gritando de alegria! Essa semana era pra eu ter feito mil coisas minha vontade de viver esta lá embaixo não tenho vontade de nada! Quando eu vou no banheiro eu tenho vontade de quebrar o espelho! Hj de manhã eu falo e choro ele riu de mim joguei minha xícara cheia de chocolate quiete nele espalhou pelo meu quarto inteiro estou ficando mal deaiquilibrada ele está me deixando louca!

Ana Eufrázio disse...

Olá, moça.
Acho que a gente poderia conversar melhor por e-mail. Poderia me enviar um e-mail para que pudéssemos ver como eu poderia te ajudar?
Por enquanto o que posso te dizer é que há formas de lidar com o que está vivendo e parar com o ciclo de violência.
Um abraço!

Rayssa Silva disse...

Olá ana espero q vc possa mim ajudar de alguma forma pq na verdade nesses casos so nos mesmo podemos tomar uma decisão certa mais e muito difícil tou mim sentindo em um beco sem saida sou casada a três anos meu marido ja mim bateu três vezes ate faca ele ja colocou no meu pescoço ja tentei deixalo mais ele vive dizendo q se eu deixalo ele mim mata e mata alguém da minha família so vivo chorando presa dentro de casa ele n deixa eu sai nem pra casa da minha mãe n tenho amizades com ninguém pq ele ja afastou todas de mim tou vivendo se comer direito to vendo a hora entra em depressão poxa mim da uma palavra q possa mim ajudar deis de ja te agradeço fica na paz do senhor

Ana Eufrázio disse...

Olá Rayssa. Bom dia!
Querida, recomendo que me envie um e-mail para que a gente possa conversar melhor.
Escreve para "anaeufrazzio@gmail.com". Através desse e-mail a gente pode trocar experiências.
Um abraço!

Anónimo disse...

Eu procurando algo que achei que seria impossível achar. E tô vendo a quantidade de mlrs que passam por isso. Estou em um relacionamento ha 12 anos , tenho dois filhos um de 10 e outro de 2 anos , apanhei pela primeira vez quando meu primeiro filho tinha 03 meses, acho que depois disso apanhei umas 7 ou 8 vezes, ele é um bom pai, bom dono de casa, dizer o q é, quanto a isso não posso reclamar. Mas falta cuidado e carinho por mim, existe isso momentâneo, praticamente só na hora da cama, no dia a dia ele não me da atenção, a TV e o vídeo game não deixam q ele preste atenção em mim, ele não é de sair, nem de beber, praticamente só sai cmg. Mas em algumas de nossas discussões ele se mostra agressivo, não sempre, como eu disse em 12 anos isso aconteceu umas 8 vzs. Ontem estávamos bem, acordamos brincando c nosso filho de dois anos, onde nosso filho era o monstro, eu era a princesa e ele era o super herói, ficamos até tarde brincando na cama, como uma família normal . A noite começamos uma discussão besta, praticamente sem motivo e ele me puxou os cabelos, me derrubou no chão , eu não sou fácil ,como ele sempre diz , sou atrevida , arranhei ele todo c as minhas unhas , mas claro que não se compara as nossas forças.
Depois q nos acalmamos , perguntei se ele não se arrependia , ele n respondeu , disse q não queria mais viver assim, q ia procurar um lugar o ele. Nenhuma das outras vezes ele me pediu desculpas, apenas tudo vai voltando ao normal e depois de um tempo estamos bem novamente.
Eu apanho , mas ele me culpa, ele diz q eu procuro, eu tiro ele do sério.
Enfim... Não sei o q pensar :'(
Penso nos meus filhos , não consigo da parte dele, meus pais moram longe, nessa cidade onde moramos não tenho ninguém, onde se td se torna mais difícil. Pras minhas amigas não tenho mais coragem de contar. Pq sei que elas vão dizer : dinovo ? Nao vai fazer nada? Vc gosta de apanhar!!
Meu Deus, quem gosta de peia?
.... Precisava desabafar !!

Anónimo disse...

Enquanto continuarem com essa conversa parva de que as nossas forças não se comparam, e acharem isso charmoso.

Charmoso é uma mulher ter mais força muscular que o homem. E aí acaba toda esta cena. Pensem mais em ter força e menos em pintar as unhas e outras bizarrias.

Anónimo disse...

Sem DR Akwuke um monte de pessoas teriam sido mortos pela ruptura do coração. O meu caso não é diferente de ruptura do coração, eu sou mulher casada com 2 filhos e houve um tempo quando eu estava tendo problema com o meu marido porque ele estava tendo um caso fora do nosso casamento e isso estava me fazendo sentir mal. Então, eu tentei encontrar uma solução para o meu problema, lendo um monte de dicas de relacionamento na internet e foi assim que entrou em contato com DR Akwuke detalhes de contato e com a ajuda de DR Akwuke em Akwukespiritualtemple@gmail.com meu marido deixou a garota que ele estava tendo caso com e ele voltou para mim e nossos filhos. Depois de um trabalho bem feito por DR Akwuke eu senti que ele será injusto se eu manter este segredo para mim e é por isso que eu estou indo para soltar os detalhes de contacto do DR Akwuke agora, ou você também pode alcançá-lo através deste e-mail: akwukespiritualtemple@gmail.com

Unknown disse...

Eu passei nesse domingo por um caso inusitado n esperava meu marido 6 anos q Tamo.junto nunk me bateu e domingo agr ele me deu uma cabeçada no nariz onde me.desmaio na hora sempre Tamo.descultindo mas nunk pondo.a.mão um no.outro n sei o q fazer sei q to c ódio e n penso em denunciar n sei o q fazer

Anónimo disse...

Entendo sua situação .
Ja fui agredida !!
E larguei ele .
Sei que seu filho te ama então uma hora ou outra ele acabaria entendendo se vc colocasse o pai dele na cadeia . Denúncie e arrume um emprego !! Vc não pode passar a vida inteira assim..se ame !!!
Deixe o conformismo de lado
E se arrisque !!
Você ja não vive por causa desse homem...não acha que merece mais ???
Pq você merece !
Merece ser livre !
Independente!
E feliz !

owo ododo disse...

bardziej romantyczne kierunek i przyciągnąć prawdziwą miłość. Wszystkie te miłosne Zaklęcia będzie praca dla każdego rodzaju romantycznego związku, czy hetero, homo, albo biseksualny. Pieniądze czar, Bez względu na sytuacje, to mogę Ci pomóc! Wszystko czary są w 100% bezpieczne! Szybkie i wydajne wyniki! Wszystkie czary rzucone w ciągu 24 godziny! Oferuję również poufne rzucania zaklęć Services. Pierwsze Twoje czary cast dzisiaj! Email OWOODODOSPELLCASTER04@GMAiL.COM lub WhatsApp +2349052571784

Anónimo disse...

Olá.. alguém pode me ajudar?
Eu casei com 16 anos
É desde sempre fui traída com menos ou mais frequência..
Ele saia aos finais de semana e eu ficava em casa ele voltava bêbado.. eu chorava.. aquela vida foi acabando comigo e me mostrando um sentimento de ódio mágoa e vingança.
Passado uns 2 anos eu resolvi me separar ,ele melhorou parou de beber fora. Depois descobri algumas conversas safadas.. mais algumas incontáveis coisas..
Só que eu aprendi a ser fdp como ele
Fiquei com uma pessoa no trabalho
É Fiquei com o melhor amigo dele.
Ele descobriu um dia depois que eu fiquei com o amigo dele isso foi dia 10 de Janeiro de 2016.
É desde lá minha vida nunca mais foi a msm.. ele cortou meu cabelo, rasgou todas as minhas roupas,ficou com umas 8 pessoas, uma delas travesti e uma delas na minha cama.. ele lembra com raiva e me bate.Eu tenho medo de deixa lo por que ele é sozinho só tem a mim e a minha filha.. hoje eu tenho a senha do celular dele . Ele não sai e tem medo de ficar mt tempo sozinho.Eu trouxe ele p casa da minha mãe e ele lembrou de . madrugada do cara do trabalho e me enforcou.. queria saber se isso passa

Anónimo disse...

Oi, gostaria de relatar o q aconteceu comigo e preciso de ajuda, tenho 24 anos e há 8 meses estou casada com um homem de 39 anos, que era conhecido de meu pai, passamos muitos momentos lindos juntos, eu tenho um filho de outra relação com 7 anos e eles se dão muito bem, moramos na casa dele, nesse natal fomos a uma boate e acabamos discutindo muito na saída da festa por causa do ciúme dele , e na hora de ir pra casa quando estávamos dentro do carro, eu, ele, minha irmã e meu cunhado eu já estava muito irada e comecei a xingar ele é então ele me deu um tapa na cara, e cada palavra que eu dizia ele me batia de novo e de novo, até q minha irmã e meu cunhado se meteram ele parou o carro e me jogou pra fora, sem bolsa, documentos sem nada, mais adiante minha irmã e meu cunhado desceram e me acudiram, chamei a polícia mas estavam sem viatura e não pude realizar o registro nem na delegacia por causa de uma greve, hoje já se passaram 2 dias da agressão, estou na casa dele e pois ele pediu desculpas e tudo mais disse q ficou irado com meus xingamentos e q eu deveria ter agido daquele jeito. Mas ainda estou confusa e não sei se devo continuar nessa relação. P ou r favor me ajudem. ..

Anónimo disse...

Querida, com apenas 8 meses de casamento ele fez isso na frente das pessoas.. muito cuidado vai se repetir novamente...Sou uma mulher com 42 anos e passei minha infância vendo minha mae ser agredida por meu pai, os pedidos de desculpas sempre veem e promessas de mudança tb, só acabaram as violência c a definitiva separação. Não permita que seu filho q nem é dele viva em um ambiente de violência...Se não tem coragem de denunciar...Vá embora enquanto pode...Se tem dúvidas leia os relatos anteriores aos seus...
Vim neste site hoje pois hoje fui fazer minha unha e minha manicure estava c o olho roxo e um corte no supercílio.. típico de um soco..O q ela disse?? Que caiu do banheiro...Dei um abraço nela e disse q se precisar de ajuda estou disposta a ajuda-la. Muito bom triste presenciar isso. Ninguém merece viver na violência seja ela qual for. Ligue 180

Anónimo disse...

Oi, eu queria tirar uma dúvida. Vi algumas matérias que colocavam homens como nojentos devido a uma mulher dizer que sofreu agressão por parte dele(como no caso do cantor Victor, da dupla Vitor&Léo) apesar de que as mulheres tenham passado por exames no dia em que disseram ser agredidas e o resultado ser negativo, além disso, elas retiravam a queixa apos os resultados. Eu sempre fico com o pé atrás nessa questão pois o feminismo procura direitos igualitários, fim da injustiça, etc. Mas não é injusto chamar um homem de nojento quando existem evidências de que o ato não ocorreu e ai a vítima assume que mentiu? Claro que existem muitos caras estúpidos mas conheço alguns que não são, assim como existem mulheres de boa e má indole, então chegar a afirmar que o cara é culpado por uma situação em que todas as evidências apontam que ele não é acaba me fazendo pensar que essa atitude como correta esta errada. Então se puder me esclarecer agradeceria muito.

Anónimo disse...

Meu nome é Sra. caro, eu fui casada com meu marido por 12 anos e nós dois abençoamos com dois filhos, vivendo juntos como um amor, até 2016, quando as coisas não eram mais como era [quando ele perdeu o emprego]. Mas quando ele mais tarde recebe um novo emprego 9 meses depois, ele afirmou dormir fora de nossa casa matrimonial. Só para eu descobrir que ele estava tendo um caso com a senhora que lhe deu o emprego. Desde aquele dia, quando eu o chamei, ele não mais atende minhas ligações e nada desde que saia bom. No entanto, meus maridos ainda continuam a ver a nova namorada até Dr.hechicero lançar um feitiço para mim, agora está comigo e só eu e estou feliz com minha família seu e-mail é {hechicero.de.amor1@gmail.com}

Ana Eufrázio disse...

Bem, anônimo. As relações heterossexuais são relações entre desiguais. Logo, de uma forma ou de outra em algum momento essas desigualdades se manifestar. Seja, através da violência psicológica (que pode ser até o controle sobre o uso de preservativo, das roupas que a mulher deve usar, sobre a forma que o casal irá investir o dinheiro) à violência física (que nem sempre pode ser constatada através de exame). Enfim, existe uma série de comportamentos masculinos que provocam dor e sofrimento a mulher e que a leva procurar a polícia. Depois quando o agressor é procurado pela polícia ele vai se dizer indignado e que nada ocorreu entre o casal. Muitas vezes, quando se torna preciso levar o caso adiante a vítima (mulher), acaba voltando atrás e dizendo que não houve nada. É importante considerar que nós não sabemos o que ocorre nos lares dos nossos vizinhos, amigos e outros. Logo, não sabemos exatamente quem está falando a verdade. Contudo, por conta dessa relação de desigualdade e por conta da fragilidade da mulher nessa relação a gente normalmente tende a creditar na mulher. Principalmente porque partimos do pressuposto que a sociedade é machista e que todos os homens são machistas sim!

Anónimo disse...

Vivo junto há 12 anos e temos 3 filhos. Logo no 1 ano de namoro ele deu indícios que era violento, insensível e até covarde. Eu estava apaixonada não quis enxergar os sinais, acreditava cegamente que era apenas estresse e que ele não era assim. Poderia enumerar centenas de formas de violência que venho sofrendo nesses anos, desde física até psicológica mas não tenho mais forças nem p relembrar. Eu era uma mulher cheia de sonhos, planos e idéias que foram totalmente ceifados c minha permissão por um homem que se passa por maravilhoso na rua, no trabalho, mas dentro de casa vira o diabo em pessoa. Eu realmente entendo qdo outras mulheres dizem que se sentem aprisionadas e não conseguem se ver livre desse sofrimento. Envolve medo, vergonha, dependência financeira, filhos e lá no fundo o sonho que uma magica aconteça e ele deixe de te xingar, te humilhar, diminuir e agredir sem piedade alguma fazendo vc se sentir um lixo. Roubando nossas energias, vigor e auto confiança em recomeçar do zero, com filhos, dívidas, auto estima no chão. Hoje foi um dia diferente, as ofensas dele me atigiram de forma cruel e despertaram a coragem que eu precisava p sair dessa vida infernal. Ele viajou p trabalhar e vai ficar 15 dias, me deixou sem dinheiro, alimentos suficiente e estamos quase passando necessidades embora ele ganhe quase R$10.000,00 e qdo fui questionar e exigir solução ele respondeu friamente que enquanto eu continuar questionando, afrontando ele ou batendo de frente, ele vai continuar gastando todo dinheiro c putas na rua e drogas e que todos (filhos) irão sofrer as consequências por eu ser uma mulher burra, arrogante e não saber conversar com "jeitinho" pois eu vivo nervosa, estressada e fazendo ele passar vergonha pois falo alto e desrespeito ele gritando. Senti vontade de vomitar c tamanha hipocrisia de um covarde sem escrúpulos me dando lição de moral e jogando toda culpa da sua falta de caráter nas minhas costas. Estou há 3 meses em uma cidade distante da minha, longe de parentes e amigos que sabem do que acontece e não entendem pq eu sou tão fraca. Estou só, me sinto só, não tenho a quem recorrer. Venho tendo pensamentos de tirar minha vida por não ver solução, ele diz que eu nunca vou me livrar dele só se um de nós morrer e que não tem nada a perder já que vive muito melhor e feliz sem mim é os filhos. Eu precisava desabafar. Obrigada por me ouvir. Estou surtando. Triste e desgostosa da vida. Me ajudem!

gina usifoh robert disse...

OBRIGADO AO GRANDE DR UZOYA PARA RESOLVER MEUS PROBLEMAS O SEU EMAIL É (
druzoyaspiritualtemple@gmail.com)

Eu estava casada com meu marido por 5 anos, vivíamos felizes juntos por
Este ano e não até ele viajar para a Itália para uma viagem de negócios onde ele
Conheci essa garota e, desde então, ele me odeia e as crianças e a ama apenas. assim
Quando meu marido voltou da viagem, ele disse que não quer me ver
E meus filhos de novo, então ele nos expulsou da casa e ele agora estava indo para
Itália para ver essa outra mulher. Então eu e meus filhos estavam agora tão frustrados e
Eu estava ficando com minha mãe e eu não estava tratando bem porque meu
Mãe casou-se com outro homem depois da morte do meu pai para que o homem que ela obteve
Casada com ela não a estava tratando bem, eu e meus filhos ficaram tão confusos e eu
Estava procurando uma maneira de levar meu marido de volta para casa porque eu amo e
Apreciá-lo tanto, então, um dia que eu estava navegando no meu computador, vi um
Testemunho sobre este lançador de feitiços DR UZOYA, testemunhos compartilhados no
Internet por uma senhora e isso me impressiona tanto, também penso em dar uma chance.
No começo eu estava com medo, mas quando penso no que eu e os meus filhos estão passando
Assim que eu entrei em contato com ele e ele me disse para manter a calma por apenas 24 horas que
Meu marido deve voltar para mim e, para minha melhor surpresa, recebi uma ligação
Do meu marido no segundo dia perguntando as crianças e eu liguei para DR.
UZOYA e ele disse que seus problemas são resolvidos pelo meu filho. Então foi assim que eu obtive
Minha família de volta depois de um longo estresse de ruptura por uma senhora doente, então com todos
Esta ajuda da DR UZOYA, eu quero todos vocês neste fórum para se juntar a mim para dizer um
Muito obrigado ao DR UZOYA, e também vou dar conselhos para qualquer um desses ou
Problemas semelhantes ou qualquer tipo de problemas também devem entrar em contato com ele seu e-mail
É druzoyaspiritualtemple@gmail.com. Ele é a solução para todos os seus
Problemas e dificuldades na vida.

ESTÁ ESPECIALIZADO NO SÍMBOLO SEGUINTE.

(1) Se você deseja o seu ex de volta.

(2) se você tiver sempre sonhos ruins.

(3) Se você deseja ser promovido em seu escritório.

(4) Se você deseja que mulheres / homens correm depois de você.

(5) Se você quer uma criança.

(6) Se você quer ser rico.

(7) Se você deseja amarrar seu marido / esposa para ser seu para sempre.

(8) Se você precisar de assistência financeira.

(9) Como você foi enganado e quer recuperar seu dinheiro perdido.

(10) se você quiser parar seu divórcio.

(11) se quiser se divorciar do seu marido.

(12) se você deseja que seus desejos sejam concedidos.

(13) Envelhecimento de gravidez para conceber bebê

(14) Garantia que você ganha os casos e o divórcio problemáticos, não importa como
Que palco

(15) Pare de que seu casamento ou relacionamento se separem.

(16) se tiver alguma doença como (H I V), (CANCER) ou qualquer doença.

(17) se você precisar de orações por libertação para seu filho ou você mesmo.

Mais uma vez, certifique-se de contactá-lo se tiver algum problema, ele irá ajudar
você. Seu endereço de e-mail é (druzoyaspiritualtemple@gmail.com) entre em contato com ele
imediatamente...............

Unknown disse...

Passei por isso meu ex era igualsinho! Isso confunde a gente prq depois vem o carinho dai agente perdoa! Q sabe faz como eu fiz denuncia e sai fora
No comeco e sofrido mas nao e tao sofrido quanto continua assim!!!

Jururu disse...

Li cuidadosamente os depoimentos das mulheres maltratadas e só tenho a dizer que vocês devem ter coragem de mudar a vossa situação, porque VOCÊS SÃO CAPAZES.
Eu fui embora com uma filha nos braços, depois de receber a última surra. Não tinha casa, emprego e ele se negou a pagar pensão. Comi o pão que o Diabo amassou, sim senhor, mas ninguém me disse que seria fácil.
Vivi em casa dos outros, fui expulsa daqui e dali, passei necessidade, mas hoje tenho o meu próprio tecto com a minha filha que já tem dezoito anos. VOCÊS PODEM DEIXAR ESSE HOMEM, não percam a fé porque Jesus ensinou que ela move montanhas. Oiçam experiências de outras mulheres que se libertaram, se imponham contra parentes cúmplices do agressor, consultem juristas, não engravidem de novo, não abaixem à cabeça cada vez que ele se retratar pelo mal que fez, conheçam os vossos direitos e coloquem o vosso agressor no seu devido lugar.
Ele não é o vosso Deus.
Parem de dar força nele, com o vosso medo de reagir.
A vida é só uma e o tempo não retrocede.