quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Apoio a Fran – Menina que teve vídeo íntimo vazado na internet



 Por Ana Eufrázio


Nos últimos dias tem circulado na internet um vídeo íntimo onde aparece uma garota fazendo sexo oral com o “namorado”, perguntando pra ele se *gostaria de fazer sexo anal,  e fazendo um sinal de ok. (*As palavras usadas na pergunta, durante a gravação, não serão reproduzidas neste texto pois não estão condizentes com a política do blog)

Não vi o vídeo e não tenho interesse em assisti-lo. Será que é porque eu acho degradantes os vídeos eróticos ou pornográficos? 

Não. Não tenho curiosidade sobre ele por dois motivos; 1º porque se trata da violação da privacidade de uma garota, e também porque é um material compartilhado por um mau caráter com a finalidade de denegrir a imagem e destruir a vida de uma mulher. Então, acho mais sensato não contribuir pra que essa violação se propague, pois cada pessoa que repassa é cúmplice do canalha que vazou o vídeo. Sem levar em consideração que um vídeo de 13 segundos é curto demais pra provocar qualquer frisson. Então, caso eu tenha vontade de assistir um vídeo erótico ou pornô, eu coloco um filme ou acesso na internet e vejo os vídeos profissionais, em que os atores foram pagos pra isso.

É obvio que os puritanos, moralistas e hipócritas estão achando um absurdo que eu, uma mulher casada, respeitável, de quase 40 anos, assista filmes pornôs. Pois é, eventualmente assisto sim! Eu também faço sexo, e nesse caso, não eventualmente, mas com considerável frequência. E pior ainda, tenho fantasias sexuais e o meu marido também as tem, e algumas delas a gente tenta experimentar. 

Sabe qual a diferença básica entre mim e Fran? É que Fran esteve envolvida sexualmente com um canalha.

E pra quem não sabe, e acha o sexo uma coisa absurda e coisa de vadia, saiba que a minha mãe faz sexo e ela tem quase 60 anos. Sua mãe também faz. A sua irmã também, sua tia, professora, sua avó.... E boa parte delas faz sexo oral, anal, e fala sacanagem nessas horas, e noutras também.  E tem mais, pode ser que nesse preciso momento uma delas esteja sendo filmada. 

Será que é porque é vagabunda, como muitos acharam justo chamar a Fran?

Somente os mentalmente perturbados vão achar a mãe, a irmã, a esposa ou namorada uma vadia. Isso elas não são mesmo. Nenhuma delas é vagabunda, pervertida ou coisa do tipo, quando se permite filmar. Fazem isso porque tem estabelecida uma relação de confiança com o parceiro e principalmente porque tem ousadia suficiente pra viver plenamente suas fantasias e sua sexualidade. 

O canalha que esteve com a Fran era um cara de sorte e de muito azar. Ele teve sorte de ter em seus braços uma mulher linda, que não tinha medo de viver sua sexualidade e que lhe proporcionou bons momentos de prazer. Mas teve muito azar de não ser homem o suficiente pra segurar a onda. Ele vazou o vídeo porque ela deu o pé na bunda dele. 

Pense comigo; a tentativa de afetar uma mulher dessa forma não é típico de gente com o orgulho ferido? É óbvio que orgulho ferido não é suficiente pra que uma pessoa aja da forma que esse cara agiu. O sujeito também tem de ser infantil, inseguro com a própria sexualidade, um tremendo canalha e burro.  Só sendo muito burro pra queimar o próprio filme dessa forma. Porque, que mulher vai querer ficar com ele depois dessa atitude? Acho que mulher que se preze não irá se arriscar a ter qualquer relação com um imbecil desse. 

Entretanto, o que mais me deixa chocada é a hipocrisia dessa nossa sociedade. Todo mundo faz sexo, a maioria adora sexo oral, quase 100% dos homens gosta de sexo anal (muitos deles até fazem qualquer coisa pra convencer a mulher aceitar essa prática), mas uma parcela significativa dos que assistiram o “filminho” se acha no direito de condenar a moça. Bando de hipócritas descerebrados.

Pra quem anda propagando e alardeando por ai centenas de ofensas a Fran só tenho uma coisa a dizer, vá se curar da sua doença. É um doente quem culpar uma moça que foi traída em sua confiança e vítima de um mau caráter. É um doente quem é preconceituoso o suficiente pra achar sexo oral ou anal coisa de vadia. É doente a mulher que não se solidariza com a outra que teve sua intimidade violada. É doente a mulher que julga a outra por viver livremente sua sexualidade.

É, essa sociedade é doente por achar que sexo, masturbação e assunto correlatos uma perversão. Contudo, o meu mais profundo lamentar decorre das críticas femininas. Porque,  meninas, não esqueçam:

Somos todas Fran’s quando cedemos às fantasias (nossas ou do parceiro) e nos permitimos filmar nos nossos momentos íntimos e temos essa confiança traída.

Somos todas Fran’s quando nos envolvemos com pessoas como as que divulgaram o vídeo. (Falo de todas as pessoas que compartilharam e que criticaram)

Somos todas Fran’s quando temos nossa intimidade compartilhada numa mesa de bar entre canalhas.

Somos todas Fran’s quando somos embriagadas, estupradas e filmadas nessas situações. 

Somos todas Fran’s quando somos chantageadas pra ceder às vontades masculinas.

Somos todas Fran’s quando temos fotos indiscretas divulgadas na net.

Somos todas Fran’s quando nos chamam de vadias porque estamos de roupas curtas

Somos todas Fran’s quando nos dizem que pedimos pra sermos estupradas.

Somos todas Fran’s quando nos passam a mão ou nos forçam o beijo no meio da multidão.

E pra concluir, somos todas Fran’s quando não somos respeitadas enquanto indivíduos e somos tratadas como mero objeto de satisfação masculina. 

Obs: Em respeito a Fran, sua família e todas as outras mulheres, não foram usadas saus imagens neste post.






2 comentários:

JADERSON FIALHO disse...

Assista ao vídeo em resposta à hipocrisia da sociedade ao caso Fran:

http://www.youtube.com/watch?v=Ud5gHJWblkM

Ana Eufrázio disse...

Muito bom o vídeo, vou ver se construo uma postagem para escrever sobre ele.
Obrigada Janderson.